Graduação em Engenharia de Alimentos
  • O Curso

    Publicado em 21/04/2015 às 21:52

    O curso de Engenharia de Alimentos tem por objetivo dar ao aluno formação profissional capaz de solucionar os problemas que influem no desenvolvimento da indústria de alimentos, combinando conhecimentos da ciência e da engenharia, visando atingir um melhor padrão alimentar para a população.

    O currículo do curso de Engenharia de Alimentos da UFSC possui 4.396 horas-aula (H-A) de disciplinas obrigatórias divididas em 10 semestres, tendo como período mínimo para conclusão do curso de 8 semestres e máximo de 18 semestres. O currículo de Engenharia de Alimentos da UFSC é rico em disciplinas específicas de engenharia por possuir duas disciplinas de termodinâmica, três disciplinas de fenômenos de transferência, quatro disciplinas de operações unitárias, sendo uma totalmente prática, cinco disciplinas de processos químicos e bioquímicos, além das disciplinas profissionalizantes do curso.

    Existe no currículo o registro oficial de atividades complementares (disciplina obrigatória “Atividades Complementares”, EQA5620) que os alunos desenvolvem ao longo do curso. A disciplina exige 100 H-A de atividades de ensino (monitoria, cursos de formação), pesquisa (iniciação científica, publicações, participação em eventos) e extensão (estágios não obrigatórios, gestão e consultoria de empresa júnior, visitas técnicas, organização de eventos, etc.). Ao longo do curso, existe a possibilidade de realização de estágios curriculares e não obrigatórios (até quatro estágios oficiais curriculares). No caso de estágios não obrigatórios, o aluno pode realizar até dois estágios, os quais poderão ser validados na disciplina “Atividades Complementares (EQA5620)” e no caso de estágios curriculares, o aluno pode matricular-se em duas disciplinas, sendo uma obrigatória (10° fase) e uma optativa. Na 9° fase do curso, o aluno deve desenvolver um projeto dentro da disciplina Trabalho de Conclusão de Curso para Engenharia de Alimentos (TCC) cujo objetivo é a aplicação dos conteúdos para elaborar/melhorar um produto/processo da indústria de alimentos. Existem mais de vinte disciplinas optativas no currículo do curso sendo obrigatório cursar no mínimo 108 H-A, equivalente a duas disciplinas optativas (no mínimo 54 H-A devem ser cursadas em optativas que constam no currículo do curso e outras 54 H-A de livre escolha). As disciplinas optativas são oferecidas conforme a demanda dos alunos, além das disciplinas oferecidas pelas UFSC. Os acadêmicos também possuem integradores de conteúdo, com destaque à disciplina de Projetos Industriais, na qual é desenvolvido um projeto completo de uma indústria.

    INFRAESTRUTURA

     Existem diversas atividades práticas realizadas em laboratórios, algumas são ministradas por outros departamentos como microbiologia, química, física, computação. Nas atividades específicas, destaca-se a existência de laboratórios equipados com diversos experimentos didáticos para uso exclusivo no ensino de graduação: Laboratório de Operações Unitárias e Fenômenos de Transferência I e II (LABOPE-LAFETE I e II), Laboratório Multipropósito de Ensino de Graduação em Engenharia de Alimentos (MULTIALI) e Laboratório de Tecnologia de Alimentos (LTA). A disciplina de Laboratório de Fenômenos de Transferência e Operações Unitárias é 100% prática e realizada no LABOPE-LAFETE I e II. O MULTIALI tem como foco principal a realização de aulas práticas dentro de disciplinas do curso que envolva processos da indústria de alimentos (embalagens, liofilização, refrigeração, fermentação, inativação biológica por alta pressão, etc). Ainda, o MULTIALI tem o propósito de servir ao desenvolvimento de TCC’s e de projetos da empresa júnior. No LTA são desenvolvidas atividades práticas exclusivas de tecnologia de alimentos em disciplinas obrigatórias e optativas.

    RELAÇÃO COM O MERCADO DE TRABALHO

    Regularmente são organizadas as seguintes atividades: Visitas técnicas às unidades fabris de empresas de alimentos e insumos; palestras técnicas de empresas e de ex-alunos em posição de destaque no mercado de trabalho; Debate semestral em forma de mesa redonda com os alunos que realizaram estágio final e que irão colar grau. Atividade obrigatória e tendo alunos do curso como plateia; Participação dos acadêmicos como gestores e consultores da empresa júnior; Apoio a semana acadêmica (SAEQA) organizada pelos alunos e apoiada pelo curso.

    Além das atividades mencionadas acima, a coordenação do curso tem se preocupado em incentivar os alunos a participar cada vez mais em atividades voltadas ao mercado de trabalho. Dentre as quais se destaca a realização de estágios não obrigatórios em indústrias pelos alunos ao longo do curso. Existe também o incentivo de que estes estágios em empresas sejam realizados no exterior dentro de programas de intercâmbio.

    ATIVIDADES EXTRACURRICULARES

    No departamento EQA os alunos de graduação em engenharia de alimentos podem participar das atividades de gestão de diversas entidades estudantis, são elas: Empresa Júnior de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos (CONAQ), Centro Acadêmico (CALEQA); Atlética; SAEQA (Semana Acadêmica de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos); CREA- Jr, DCE, entre outros.

    INTERAÇÃO INTERNACIONAL

    Atualmente, existe uma forte interação com instituições de diversos países, principalmente com a França. Dentre os destaques, existe atualmente um convênio BRAFRAGRI com duas instituições francesas (AgroParisTech e ONIRIS) para concessão de duplo diploma para alunos brasileiros e franceses que frequentam certa quantidade de semestres em ambos os países. Há também convênio permanente de professores com instituições americanas e europeias.

    Leia mais aqui!

    PESQUISA NA GRADUAÇÃO

    Os alunos de graduação participam através de iniciação científica, seja com bolsa de órgãos de fomento (PIBIC/CNPq, FAPESC, CAPES, etc.) ou de forma voluntária (Programa Bolsista Voluntário) de inúmeros projetos de pesquisa vinculados aos 2 programas de pós-graduação (Mestrado e Doutorado, Eng. Química e Eng. de Alimentos) existentes no departamento, ambos com conceito 6 (nota máxima) na CAPES. Os alunos do curso já foram vencedores do prêmio de inovação da UFSC, no qual o projeto é desenvolvido junto aos alunos da pós-graduação.

    INTERAÇÃO COM A PÓS-GRADUAÇÃO

    O Departamento de Engenharia Química e Engenharia de Alimentos possui dois programas de Pós-Graduação com cursos de mestrado e doutorado em ambos, são eles:

    Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Alimentos (PGEAL) – http://ppgeal.posgrad.ufsc.br/

    As linhas de pesquisa do PGEAL são:

    - Transferência de Calor e Massa no Processamento de Alimentos;

    - Processos de Separação: Extração Supercrítica e Separação com Membranas;

    - Processos Biotecnológicos e Cinética Microbiana Aplicada;

    - Desenvolvimento de Processos e Produtos;

     Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química (PósENQ) – http://posenq.posgrad.ufsc.br/

    As linhas de pesquisa do PósENQ são:

    - Engenharia de Reações Químicas e Desenvolvimento de Materiais;

    - Engenharia Genômica e Engenharia Biomédica;

    - Fenômenos de Transporte e Meios Porosos;

    - Modelagem, Otimização e Controle de Processos;

    - Processos Biotecnológicos;

    - Termodinâmica e Processos de Separação.

    DEMAIS ATIVIDADES

    Dentre outras atividades para o curso destacam-se: cursos de línguas estrangeiras oferecidas pela UFSC para os alunos com custos subsidiados; palestras de professores estrangeiros; oferecimento de apoio pedagógico via departamental (monitoria) ou institucional (programas); oferecimento de disciplinas optativas para utilização de softwares comerciais de engenharia. Outra opção para os alunos do curso é a possibilidade de, após a conclusão do curso de Engenharia de Alimentos, solicitar retorno de graduado, desde que haja vaga, para cursar as disciplinas de Engenharia Química e cursar as disciplinas faltantes para obter duas titulações em um curto espaço de tempo.

    DESTAQUES           

    Um dos destaques do curso de Engenharia de Alimentos da UFSC é o fato do curso ter obtido Conceito 5, nota máxima, no ENADE (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes) nas edições aplicadas de 2005, 2008 e 2011 (http://portal.inep.gov.br/enade/resultados). Isto evidencia que o currículo, as disciplinas, os professores e as atividades do curso estão contribuindo para uma excelente formação dos alunos e que estes estão tornando-se profissionais com um alto nível de conhecimento.

     

    Estamos de braços abertos para recebê-los!